Festas de Réveillon na capital e interior em dezembro “não é viável”, diz secretário de Saúde da Bahia

Festas de Réveillon na capital e no interior podem não ser viáveis ainda, segundo o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, que comentou ainda, em entrevista ao jornal A Tarde, sobre o Carnaval do ano que vem. “Eu acho que o Carnaval ainda é cedo para se tomar uma decisão. Réveillon eu particularmente não acredito que seja possível”, declarou Vilas-Boas ao condicionar a realização ou não de festas à velocidade da vacinação.

 

O titular da Sesab destacou ainda que, apesar de a vacinação estar avançando, ainda há inconstância na entrega de doses dos imunizantes. “A gente tem visto o Ministério da Saúde avançar e recuar várias vezes, a gente não tem um cronograma, um calendário vacinal confiável”, analisou. Vilas-Boas ainda sugeriu que decisões sobre a realização de festas de Réveillon devam ser tomadas apenas 60 dias antes do fim do ano. Na visão do gestor, nesse período será possível ver se há “condições claras de definir alguma coisa sobre o Réveillon e o Carnaval”.

 

O prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM), já comentou em algumas oportunidades que o desejo da gestão soteropolitana é sim de fazer festa de Réveillon e também Carnaval. Na semana passada, a prefeitura divulgou que fará no dia 29 de julho o primeiro evento-teste para retomada do setor de entretenimento em Salvador após 15 meses de pandemia. O primeiro evento terá público de 500 pessoas – todas elas vacinadas com pelo menos a primeira dose da vacina contra a Covid-19 – e será realizado no Centro de Convenções de Salvador.

 

*com informações com Bahia Notícias

Compartilhar agora
X