Estudantes da Rede UniFTC têm trabalhos de pesquisa científica aprovados pela Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica

Luara Vanessa Ferreira Barros, Verena de Oliveira Silva, Kalinna Mahara de Lima Nunes, Janaina Nascimento Rodrigues e Luís Felipe Sant’Ana Bastos Pinto são os nomes que representarão a Rede UniFTC e o Centro Universitário UniFTC de Vitória da Conquista durante a 38º Reunião Virtual da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica (SBPqO) – um dos maiores encontros de especialistas da América Latina.

 

Ao todo quatro trabalhos foram aprovados e selecionados pela SBPqO e os estudantes terão a oportunidade de apresentá-los ao mundo de 8 a 11 de setembro de 2021. A iniciativa visa movimentar conhecimento e novas experiências, além de despertar o interesse dos futuros profissionais em atividades que promovem mais qualidade de vida para comunidade por meio dos avanços nos campos da saúde, como em diversas outras áreas. Os projetos contaram com a orientação do cirurgião dentista e à época coordenador do curso de Odontologia da Instituição, Eugênio Peixoto Rocha.

 

“O momento vai nos proporcionar mais conhecimento para atuação na carreira profissional, pois o Congresso reúne profissionais superinteligentes. Estamos bastante motivados por fazer parte desta liga e ter recebido as devidas diretrizes do ex-coordenador do curso, professor Eugênio. Enquanto alunos levamos para estes acontecimentos, o nome do professor e da UniFTC”, ressaltou.

 

Sobre os trabalhos aprovados – Luara e Verena cursam o 10º semestre de Odontologia e desenvolveram um “Guia Definitivo sobre como utilizar medicamentos para lidar com as emergências médicas no consultório odontológico”. O trabalho propõe a orientação e montagem de um kit com medicamentos que podem ser utilizados em casos de emergências dentro do consultório do cirurgião dentista.

 

“É de extrema relevância ter este conhecimento, pois muitos cirurgiões dentistas não sabem lidar com as emergências médicas. Conquistamos muitas informações e noção do mundo científico através da orientação do professor. Com ele, aprendemos mais sobre este tema, que é relevante para o meio acadêmico também. Os docentes da UniFTC nos motivam e nos guiam para sermos profissionais do futuro”, disse Luara.

 

O segundo trabalho aprovado tem o tema “Sedação Consciente: é possível exercer Odontologia moderna sem domínio efetivo desses protocolos?”, e é de autoria da estudante do 8º período de Odontologia, Kalinna Mahara de Lima Nunes. Também cursando o 8º semestre, Janaina Nascimento Rodrigues é a autora do projeto “Domínio das vias de administração medicamentosa nos procedimentos odontológicos modernos e nas situações de urgência e emergência”.

 

O quarto trabalho selecionado para o Congresso foi executado pelo acadêmico Luís Felipe Sant’Ana Bastos Pinto e tem o título “Um olhar mais profundo sobre a inflamação gengival e sua prevalência em mulheres sob o panorama atual: fatores que influenciam a persistência desses casos”.

 

De acordo com Felipe, a escolha do tema foi baseada na relevância do assunto para a sociedade. “Surgiu diante da necessidade de entender os fatores que influenciam a inflamação gengival e na tentativa de compreender por que acontece com certa frequência em mulheres. O público feminino passa por quatro ciclos de alterações hormonais e isso potencializa a inflamação causada pelas bactérias. Nosso intuito é informar e orientar sobre a doença periodontal, indicando os fatores que podem ocasionar esta patologia. Ao me oferecer este tema, o professor Eugênio me mostrou que podemos fazer com que a iniciação científica adote novos olhares clínicos para o tratamento, tendo em vista as melhorias do quadro de Saúde Bucal no Brasil”, explicou o estudante.

 

Para o reitor do Centro Universitário UniFTC de Vitória da Conquista, Aureliano Tavares, a Instituição incentiva os alunos a serem pesquisadores criativos e a realizarem projetos que possam transformar a sociedade.

 

“A Rede UniFTC incentiva que os estudantes participem do Programa de Iniciação Científica como mais uma oportunidade de aprendizagem ao aluno. É uma forma de trabalhar as metodologias ativas, concedendo aos alunos autonomia e conhecimento para desenvolver pesquisas em áreas específicas, assim como oferecer novos desafios aos professores da UniFTC. Todo mundo sai ganhando – a comunidade acadêmica que adquiri experiência como pesquisadores, ganham reconhecimento por suas publicações e aperfeiçoam-se como profissionais do futuro – e a sociedade que recebe os benefícios dessas descobertas direta ou indiretamente”, ressalta o gestor.

Compartilhar agora
X