Escolas voltam em Manaus com alunos sem sapatos, máscaras e rodízio de alunos

Depois de três meses sem atividades presenciais por causa da pandemia de Covid-19, escolas particulares de Manaus, uma das cidades mais afetadas pelo novo coronavírus voltaram a abrir as portas para os alunos no início deste mês de julho. O Governo do Amazonas autorizou o retorno das atividades presenciais nessas instituições e divulgou uma cartilha com normas e recomendações oficiais de segurança. Manaus é a única cidade com as escolas reabertas no país. Outros oito estados e o Distrito Federal já têm previsão de retorno.

 

O site G1 buscou exemplos em duas instituições privadas e encontrou particularidades em cada uma delas, como aula sem sapatos; recreio a dois; e rodízio de aula presencial e on-line, por exemplo. A coordenadora pedagógica de um dos colégios conta que as turmas foram divididas em dois grupos e terão revezamento em quatro dias da semana para aulas presenciais, enquanto o restante acompanha de maneira on-line. Para retornar, eles devem levar kits pessoais com máscaras e pequenos frascos de álcool em gel individuais. Outras medidas também foram tomadas para evitar aglomerações.

 

“No intervalo, reduzimos mesas e cadeiras no espaço da lanchonete e só tem duas cadeiras disponíveis em cada mesa. Uma turma desce para o lanche enquanto a outra espera. Elas não saem pro intervalo ao mesmo tempo”, disse.

 

Além da aferição de temperatura que é realizada na entrada da escola, pias foram instaladas para higienização das mãos. Álcool em gel é disponibilizado dentro e fora das salas de aula, e os alunos devem tirar os sapatos antes de entrar na sala.

 

Conforme as recomendações do governo estadual, as instituições de ensino deverão desenvolver um plano de trabalho domiciliar ou remoto estudantes do grupo de risco ou àqueles (ou suas famílias) que não se sintam confortáveis e seguros para frequentarem o ambiente educacional de maneira presencial.

Compartilhar agora
X