“Dói tanto que começo a chorar”, diz adolescente com quadro raro de alergia à água

Uma menina de 14 anos, moradora do estado de Missouri, nos Estados Unidos, foi diagnosticada com um quadro de urticária aquagênica (UA) – uma alergia à água que provoca sintomas até mesmo ao ser exposta às lágrimas do choro ou ao tomar banho. Estima-se que a doença acometa apenas uma a cada 230 milhões de pessoas, sendo portanto extremamente rara. Ao jornal britânico The Independent, Sadie Tessmer contou como é conviver com a alergia.

 

“Às vezes, parece que alguém está derramando gasolina no meu corpo e me incendiando e isso coça. Sempre recebo uma reação (alérgica) quando tomo banho ou lavo as mãos, ou até choro ou suo. Dói tanto que começo a chorar, e isso piora porque sou alérgica às minhas próprias lágrimas, o que me estressa. Tento evitar (colocar) água no rosto ou no pescoço porque não quero entrar em choque anafilático. Eu tenho EpiPens, mas é aterrorizante”, relata a adolescente.

 

O choque anafilático é uma reação alérgica grave que pode deixar o indivíduo sem conseguir respirar. Por isso, pessoas com alergias severas costumam carregar canetas de epinefrina (EpiPens), uma substância com efeito de estimulante cardíaco injetada no paciente que tem indicação durante a ocorrência do choque. No dia a dia, a doença faz com que a exposição à água provoque irritações vermelhas na pele que coçam e podem ser dolorosas. As lesões dependendo da quantidade de líquido com que ela entrou em contato.

 

Até meados de 2021, ela não tinha problemas com água e adorava nadar e remar na praia, por exemplo. A suspeita para o diagnóstico começou quando ela percebeu que estava ficando com a pele muito vermelha ou até mesmo desmaiando após tomar um banho. O caso dela não a impede de beber água, uma vez que a alergia não é interna, mas ela conta que precisa evitar molhar os lábios durante o processo para não provocar uma reação na área. *com informações O Globo

Compartilhar agora
X