Máscaras deixam de ser obrigatórias na cidade do Rio de Janeiro; especialista comenta

O Rio de Janeiro tornou-se a primeira capital do país a desobrigar por completo o uso da máscara de proteção individual contra a Covid-19 em locais fechados. O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial do Município e a decisão segue recomendação do Comitê Especial de Enfrentamento à Covid-19 da Prefeitura do Rio de Janeiro, segundo o prefeito Eduardo Paes (PSD).

 

Paes afirmou em publicação no Twitter, que o passaporte de vacinação deixará de ser exigido na cidade quando a vacinação com dose de reforço atingir 70%. A recomendação é que o equipamento continue a ser usado por profissionais de saúde e em escolas. O uso também deve ser mantido por pessoas imunossuprimidas, com comorbidades de alto risco, não vacinadas e com sintomas de síndrome gripal. Os especialistas recomendaram, ainda, a manutenção de exigência do passaporte vacinal e reforçaram a importância da vacinação infantil.

 

Especialista – A drª Luana Araújo, infectologista e epidemiologista, comentou a decisão. […] ” a taxa hoje é baixa em todas as idades – certamente por uma conjunção de vacinação + esgotamento de vulneráveis. Mas isso tem um preço e um tempo: muita gente ficou doente, muita gente vai ter COVID longa, e essa queda durará pouco tempo – o tempo de proteção do último reforço vacinal. Dá pra tirar a máscara sem a disponibilidade de medicações orais contra a doença que reforçariam o menor perigo da doença? Não. Imaginam pedindo pra botar a máscara de novo daqui a pouco? Claro que não. Em ano eleitoral? JAMAIS.

 

“A taxa de reprodução – número de novos casos a partir de um positivo – é a menor registrada. MARAVILHA! Mas há um enorme porém: essa é uma taxa calculada sobre a população toda, não sobre populações vulneráveis – sabidamente hoje as crianças e os idosos. Então, nesta população, a realidade pode ser bem diferente”, continuou. “APENAS 10% DAS CRIANÇAS CARIOCAS DE 5-11 ANOS ESTÃO PLENAMENTE VACINADAS e a grande (senão a maior) parte dos idosos já tem mais de 5 meses das suas doses de reforço. Em resumo: existem MUITOS BURACOS QUE NÃO PERMITEM ESSA FLEXIBILIZAÇÃO EM TODOS OS LOCAIS. Mas tem eleição e carnaval, né… LUCIDEZ, MEU POVO. LUCIDEZ!”, concluiu a médica.

 

foto: Pixbay

Compartilhar agora
X