Caso Beatriz: “Peritos afirmam que digital palmar pertence a um ex-aluno do colégio”, diz Lucinha Mota

Na semana em que a Polícia Civil de Pernambuco afirmou ter preso um homem que está sendo apontado como autor do crime que vitimou Beatriz Angélica, a família da garota fez algumas revelações sobre o DNA do assassino. Segundo a Secretaria de Defesa Social de PE, com base no exame elaborado de DNA, delegados que investigam o crime interrogaram o principal suspeito que, de acordo com a Polícia, confessou ter praticado tal ato contra Beatriz.

 

À TV Jornal, Lucinha Mota disse existir perícias com dois resultados e uma delas aponta a digital de um ex-aluno da escola no local do crime. “Quatro peritos afirmam que a digital palmar pertencem a um ex-aluno do colégio. E outros dois peritos afirmam dizendo que não foi”, contou se referindo a registros deixados na porta da sala em que o corpo da menina foi encontrado.

 

Lucinha Mota conta que ainda há um agravante, já que esses dois peritos, que afirmam o oposto dos outros quatro, não foram responsáveis pela coleta. A mãe da garota revelou também que na reunião que teve com o secretário em 28 de dezembro, após uma peregrinação de 23 dias de Petrolina ao Recife, o titular da SDS não soube informar se o DND do assassino constava no banco nacional. Ela diz acreditar que isso ocorreu porque o DND não está “dentro dos padrões solicitados pelo órgão”. A família solicitou uma nova coleta, mas a SDS não autorizou.

Compartilhar agora
X