Bolsonaro alfineta Ivete Sangalo e ator José de Abreu após alta médica: “Estamos mexendo na Lei Rouanet”

O presidente Jair Bolsonaro (PL) não poupou críticas a cantora Ivete Sangalo e ao ator José de Abreu, ao receber alta médica na manhã desta quarta (5) após ficar dois dias internado. Em coletiva de imprensa, Bolsonaro alegou que as mudanças realizadas pelo seu governo na Lei Rouanet estão incomodando a juazeirense, que na última semana de dezembro, durante show em Natal-RN, incentivou um coro contra o presidente da República, e também ao ex-global.

 

“Estamos mexendo na Lei Rouanet. Quando entrei no governo, o limite para artistas era de R$ 10 milhões por ano. Eu passei imediatamente para R$ 1 milhão. Estou conversando com o Mario Frias agora e vamos passar, nos próximos dias, para R$ 500 mil. Queremos atender àquele artista que está começando a carreira, e não figurões ou figuronas como a querida Ivete Sangalo”, disparou o chefe do Executivo federal.

 

“Ela [Ivete Sangalo] está chateada, o Zé de Abreu está chateado, porque acabou aquela teta gorda deles, de pegar até R$ 10 milhões da Lei Rouanet e defender o presidente de plantão. Não quero que me defendam, quero que falem a verdade a meu respeito. Fizemos muita coisa”, concluiu.

 

Apesar da fala do presidente, Ivete Sangalo não tem projetos aprovados na Lei Rouanet. Dados abertos de projetos inscritos em leis de incentivo à cultura não registram nenhum projeto da cantora ou de empresas de que é sócia, conforme publicou o site Metrópoles. Além disso, só dois projetos têm o nome da cantora no título: um, de 2016, que chegou a ser autorizado a captar até R$ 1,3 milhão, mas não conseguiu nenhum recurso, que seria um show da cantora com a Orquestra Juvenil da Bahia, e o segundo, de 2017, que buscava desenvolver um roteiro sobre uma história ficcional que levava Ivete Sangalo em uma viagem no tempo, mas não foi aprovado.

Compartilhar agora
X