BOAS NOTÍCIAS: Mundo atinge mais de um milhão de recuperados; Medicamento apresenta bons resultados contra Covid-19

1 – Mundo tem 1 milhão de recuperados da covid

 

Já temos mais de 1 milhão de recuperados da covid-19: exatas 1.011.110 pessoas venceram a doença até início da noite desta quinta, 30 de abril. ( Mas atenção: isso não é incentivo para relaxar as regras de isolamento social, mesmo porque o número de mortos no Brasil está dobrando a cada 5 ou 6 dias. Cuide-se!)

 

Os países com maior número de recuperados são: Espanha, EUA, Alemanha e China, de acordo com Mapa online da Covid-19 da Universidade Johns Hopkins, dos Estados Unidos.

 

O Brasil aparece em 9º lugar no levantamento, com mais de 35,9 mil pessoas recuperadas da doença.

 

Veja o ranking dos recuperados (atualização)

Espanha – 137,9 mil
EUA – 125,9 mil
Alemanha – 123,5 mil
China – 78,4 mil
Itália – 75,9 mil
Irã – 76,1 mil
França – 50,3 mil
Turquia – 48,8 mil
Brasil – 35,9 mil
Suíça – 23,4 mil

 

2 – Grande teste com medicamento apresenta bons resultados em pacientes com Covid-19

A Gilead, “mãe” do antiviral desenvolvido originalmente contra o ebola, divulgou um resultado muito mais positivo do que um estudo feito na China (e vazado por engano, causando muito ruído negativo). De 397 pacientes em estado grave a ponto de exigir suplementação de oxigênio – mas não colocados em ventiladores mecânicos -, metade melhorou com dois regimes de tratamento com o antiviral (cinco e dez dias). Em duas semanas, receberam alta.

 

O remdesivir também aparece com grande destaque nas recomendações de uma espécie de força-tarefa de gênios, uma aliança entre especialistas de altíssima qualificação e bilionários americanos, noticiada pelo Wall Street Journal. São cientistas do ramos de biologia química, epidemiologia, neurologia, oncologia. Tem um prêmio Nobel no meio e a iniciativa partiu de Tom Cahill, um médico que entrou no ramo de investimentos em incubadoras, ganhou muito dinheiro e tem acesso as figuras como o bilionário Peter Thiel, com trânsito no governo Trump.

 

 

Num documento de 17 páginas, os “cidadãos-cientistas” propõem praticamente tudo que se espera das cabeças iluminadas: um detalhadíssimo método de tratamento em três fases que permita a reabertura da economia, com controles customizados. E, principalmente, as formas de enfrentar os obstáculos burocráticos e pavimentar a ponte indústria-estado para resolver os problemas mais urgentes.

 

A primeira fase, de início imediato, se baseia no uso generalizado, embora não exclusivo, do remdesivir, em doses maiores do que as empregadas em vários testes atualmente e na fase mais inicial da doença. Uma das maiores vantagens é que já foi provado que o antiviral é seguro para uso em seres humanos – uma das mais demoradas etapas para a aprovação de novos medicamentos: “Atualmente, existem mais de vinte experimentos sendo feitos através do mundo com o remdesivir”, diz o grupo.

 

Numa prova de que não tem interesses suspeitos, a força-tarefa voluntária propõe que todos as grandes indústrias farmacêuticas dos Estados Unidos possam fabricar o antiviral, inclusive na forma de spray.

Compartilhar agora
X