Após ser contratado, homem trans é demitido de empresa em Petrolina após empregador dizer que não sabia sua “condição”

Após meses desempregado, Eduardo Príncipe de Lira Rocha, começaria na última segunda-feira (12), seu mais novo emprego na cidade de Petrolina-PE. Um dia antes, entretanto, foi surpreendido com uma mensagem do seu futuro empregador alegando que tinha voltado atrás na contratação, justificando que  desejava contratar alguém do sexo masculino e que “as cotas para pessoas diferentes” já estavam preenchidas. Eduardo é um homem trans.

 

O caso ganhou repercussão nacional após Rocha compartilhar a mensagem nas redes. Na mensagem, o empregador afirma que não percebeu que Rocha era trans. “De minha parte, não segui o roteiro correto das entrevistas e não o identificou na primeira hora. […] 99% do meu quadro é composto por mulheres. Meu objetivo com essa vaga é contratar um monitor, consequentemente do sexo masculino. Minha cota de pessoas diferentes já está atendida e completa com o que demonstro não ter preconceito”, escreveu o empregador.

 

 

No final da mensagem, o empregador conta que só tomou ciência da sua “condição” depois de contratá-lo e diz ainda que “não tem nada contra”. Eduardo enviou uma cópia da sua certidão de nascimento, e o documento o reconhece como alguém do sexo masculino, mas não foi suficiente. Ele, então, desabafou. “Eu não tenho de onde tirar o aluguel do mês que vem. Não tenho, até o momento, uma previsão de como vou pagar as contas dos próximos meses. Eu sei que tá todo mundo fodido, lascado. Mas essa situação me faz perguntar: até quando?”.

Compartilhar agora
X