Após determinação do STF, Ministério da Saúde volta a publicar dados completos da pandemia

A divulgação oficial de informações sobre o novo coronavírus no Brasil pelo governo federal sofreu mais uma guinada, nesta terça-feira (9). Desta vez, por ordem da Justiça. O Ministério da Saúde cumpriu a determinação desta segunda (8) à noite, do ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes, para que retomasse a publicação dos dados completos da pandemia.

 

O ministro ordenou que o governo volte a incluir na divulgação os casos notificados nas últimas 24 horas, como vinha ocorrendo até a quinta-feira da semana passada (4). Alexandre de Moraes afirmou que a Constituição estabeleceu que a publicidade das informações é de absoluta prioridade na administração pública.

 

No domingo (7), o Ministério da Saúde disse que lançaria uma nova plataforma de dados sobre a doença e passaria só a informar os números de infectados e de mortes pela data em que ocorreram, e não mais pela data em que foram registrados, como é feito no mundo inteiro.

 

Nesta segunda-feira (8), os técnicos do ministério confirmaram essa decisão e não deixaram claro se no site da pasta estariam as duas informações – os óbitos por data de ocorrência e o número de mortes registradas no dia. No fim da noite desta segunda, assessores do ministério afirmaram que, na nova plataforma, será possível consultar os dados sobre mortes das duas formas.

 

A falta de clareza do ministério em relação ao tratamento e divulgação dos números, provocou reações fortes na comunidade médica e científica. Nesta terça (9), em carta aberta, mais de 100 organizações da sociedade civil repudiaram o que chamaram de tentativa do governo federal de controlar a narrativa da pandemia por meio da opacidade e do compartilhamento de informações sem provas científicas ou baseadas na realidade. E afirmaram que a mudança não custa apenas a democracia, mas também a vida de milhares de pessoas, principalmente as mais vulneráveis. (G1)

Compartilhar agora
X