AGRO: Brasil desenvolve alho livre de vírus

A Embrapa se prepara para lançar novas variedades de alho livres de vírus. São materiais que pertencem ao grupo chamado de alho seminobre e que, devido à sua aparência mais rústica, tem menor aceitação comercial, entretanto com qualidade condimentar (aroma e sabor) superior a outros tipos de alho.

Eles vem sendo testados em experimentos em áreas de produção e validação com agricultores familiares convencionais e orgânicos na Bahia e no Distrito Federal, que incluíram este ano o sul de Minas Gerais, em parceria com a Universidade Federal de Lavras (UFLA), e em São Paulo também nos sistemas convencional e orgânico.

 

Foram selecionadas duas variedades que apresentaram um ótimo desempenho nos agricultores familiares convencionais da Bahia, onde ultrapassaram 20 toneladas por hectare. “Trata-se de um nível de produtividade geralmente alcançado com alho nobre pelos produtores altamente tecnificados da região do Cerrado”, aponta o pesquisador Francisco Vilela, coordenador do programa de alho livre de vírus (ALV) da Embrapa Hortaliças (Brasília-DF). No sistema orgânico as produtividades foram mais modestas, entre 07 e 11 toneladas por hectare no DF e na BA.

 

 

Segundo ele esses materiais também têm a vantagem de um sistema de produção mais simples e de menor custo se comparado ao dos alhos nobres. Essa vantagem atende produtores menos especializados e tecnificados, como os da agricultura familiar – são variedades que não necessitam de vernalização, são pouco suscetíveis ao pseudoperfilhamento, além de não exigirem controles rígidos de irrigação e adubação para evitar anormalidades fisiológicas.

 

“Nosso objetivo é disponibilizar essas variedades para agricultores familiares e produtores orgânicos que, normalmente, atuam em mercados menos exigentes como feiras livres, vendas ambulantes, pequenos mercados e verdurões”, informa. “A ideia é realizar alguns testes finais de validação e os processos burocráticos em 2022 e disponibilizar esses materiais para os agricultores em 2023”, destaca.

 

Em termos de produção nacional, a maior parte do alho é produzida por quatro estados: Goiás, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, que produzem aproximadamente 90% do alho brasileiro. O consumo passou, em 2020, de 30 milhões de caixas de 10 kg para 36 milhões.

 

O alho-semente livre de vírus (ALV) é uma tecnologia baseada em um processo de limpeza clonal, isto é, uma técnica realizada em laboratório que prevê a multiplicação in vitro e uma série de testes para eliminar totalmente os vírus e outros microrganismos nocivos da planta.

Compartilhar agora
X