Portal Zap - Donos da empresa de caiaques dão outra versão sobre afogamento de jovem em Juazeiro


Donos da empresa de caiaques dão outra versão sobre afogamento de jovem em Juazeiro
Confira:
publicada em 13/09/2018

Os diretores da empresa Caiaques do Vale Eduardo Jorge Meireles da Cunha e Denísia Medrado estiveram no Programa Geraldo José (Transrio FM) na tarde desta quarta-feira (12) utilizando direito de resposta e apresentando as suas versões sobre o afogamento do adolescente Diogo Lira Ferreira, fato ocorrido na sexta-feira, 07 de setembro, em Juazeiro (BA).

“Nós lamentamos profundamente o ocorrido, mas rechaçamos todas as acusações imputadas a empresa, entre elas a de que nós tomamos o caiaque no meio do rio e deixamos os jovens à deriva é muito pesada, muito forte. Estou arrasado com a perda de um jovem, sou pai, sou avô, Juazeiro me conhece e o fato não foi em hipótese nenhuma dessa forma” contestou Eduardo Jorge.

“Eu recepcionei os dois, o Thiago que tem 17 anos foi quem assinou a ficha e eles disseram na televisão que antes de entregar o caiaque e os coletes viraram o equipamento várias vezes o que denota a superlotação. Nós sempre informamos aos nossos usuários todas as orientações sobre o uso correto dos caiaques alugados em nosso estabelecimento, bem como os equipamentos de segurança obrigatórios” pontuou o diretor da empresa.

“O caiaque alugado tinha capacidade para duas pessoas, mas ao retornarem da Ilha do Fogo, os dois tripulantes ofereceram carona a mais duas pessoas, e diante do alerta por uma pessoa que não é funcionária da empresa, mas apenas um colaborador, sobre o excesso de pessoas na embarcação, dois deles resolveram terminar o trajeto nadando, e Diogo não teve resistência e se afogou” acrescentou Eduardo Jorge.

Visivelmente emocionada, Denísia Medrado, convidou a família do jovem para conversar e explicar o incidente que ela isenta a responsabilidade da empresa. “Nós já fomos ouvidos, o colaborador que conversou com os jovens já prestou depoimento, bem como as testemunhas e o que nós queremos e a apuração total dos órgãos competentes, antes que crucifiquem a nossa família e a nossa empresa, onde trabalhamos com muita seriedade e honradez. Quantas pessoas não já excederam no tempo e nós nunca agimos como estão querendo nos responsabilizar. Confio nas autoridades e espero em breve o resultado do inquérito” concluiu.

Blog Geraldo José
TAGS: caiaques do vale, afogamento, juazeiro